Exposições

Exposição do Jornal Escolar

1Até ao final deste período, está a decorrer, na nossa escola, uma exposição organizada pela equipa do Jornal Escolar do nosso Agrupamento, Aqueduto.
O objetivo desta exposição é dar a oportunidade aos alunos de poder conhecer o nosso jornal mais de perto, isto é, poder conhecer as nossas instalações e o trabalho, ao longo dos anos, de todos os alunos-jornalistas que aqui trabalharam.
Os alunos podem ler exemplares de todas as edições do jornal, desde 1990 até à última edição que saiu de 2015.
Este jornal escolar já existe há 25 anos e esperamos que continue por muitos anos, com muitos alunos-jornalistas como nós. Os alunos interessados podem juntar-se à nossa equipa: há sempre lugar para mais um!

Repórter: DR 13

Fotografía: Prof. Helena

Aqueduto, um jornal com história 

Aqueduto4

O Jornal Escolar Aqueduto comemorou, em 2015, 25 anos de edição. Para assinalar a data decorreu, na sala da redação, uma exposição dos jornais publicados.
Como forma de partilhar com toda a comunidade educativa, a valiosa informação contida nas várias edições damos início à publicação destes jornais, em formato digital, disponibilizando, desde já, o primeiro jornal publicado.


Fotorreportagem

Aqueduto

Dia de São Valentim

Entre os dias 12 e 19 de fevereiro, está a decorrer uma exposição sobre o dia dos namorados, na biblioteca escolar.
2Como todos sabemos que no dia 14 de fevereiro celebra-se o dia do amor, principalmente dos namorados. Alusivo a este dia, está a decorrer na nossa biblioteca escolar uma exposição entre os dias 12 e 19 de fevereiro.
Esta exposição foi criada com a principal colaboração dos alunos da nossa escola, que criaram os seus próprios corações, durante as aulas de Educação Visual, coma a ajuda da professora Anabela Alexandre. Alguns dos corações são maiores, outros mais pequenos, uns pintados, outro com colagens, alguns em papel, outros em cartão… são todos diferentes.
A exposição está aberta a todos os alunos, funcionários e professores.


Trabalhos em exposição

Repórter: DR13

Aqueduto

A obra de Maurits Cornelis Escher

EscherMaurits Cornelis Escher nasceu na Holanda, em Leeuwarden a 17 de junho de 1898 e morreu em Hilversum a 27 de março de 1972.
Foi um artista gráfico conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e metamorfoses (padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes), como também pela execução de transformações geométricas (isometrias) nas suas obras.


Maurits Cornelis Escher

A sua obra inicial reflete a inspiração da natureza, tendo feito estudos sobre insetos, paisagens e plantas (como líquenes por exemplo), que “reutilizava” nos seus trabalhos artísticos. Viajou bastante, por Itália e por Espanha, desenhando edifícios e interessando-se cada vez mais pela sua estrutura matemática.
O seu trabalho inclui objetos matemáticos, explorações do infinito, reflexos, simetrias, perspectivas, poliedros e padrões (tesselations).
Muito embora considera-se que não tinha qualquer capacidade na área da Matemática interagia com matemáticos (George Pólya, Roger Penrose e Harold Coxeter) e fazia inúmeras leituras e pesquisas na área.


Trabalhos em exposição